Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2019

Grilo Falante #2 - Joana Afonso

Para a segunda edição da rubrica Grilo Falante, convidei a ilustradora Joana Afonso. Conheci a Joana enquanto professora na faculdade, e fico feliz de termos ficado amigas desde então.
Este foi o livro que escolheu: The Hunter, de Joe Sparrow.


The Hunter, uma Banda Desenhada criada por Joe Sparrow em 2015, faz parte da colecção 17x23 da editora Nobrow. Esta BD, apesar de ter apenas 24 páginas, foram as suficientes para me chamarem a atenção. Conheci este e o restante trabalho de Joe Sparrow na minha primeira ida ao Festival de Banda Desenhada de Leeds, Thought Bubble. Talvez me tenha cativado ainda mais o seu trabalho pelo facto de, nessa altura, estar a começar a realizar o meu Doutoramento, no qual exploro a BD em vários suportes, desde o estático até ao animado. Joe utiliza a mesma multiplicidade nas suas narrativas. Sendo The Hunter um exemplo disso, esta história pode ser lida então em dois suportes: o físico e um digital, onde no último são incluídas animações, pequenos "loop…

Grilo Falante #1 - Guilherme Trindade

O primeiro convidado desta novíssima rubrica é o meu amigo Guilherme, que escolheu My Heroes Have Always Been Junkies, de Ed Brubaker e Sean Phillips.
A partir de aqui, as palavras serão dele.


Numa ida recente à BD mania pedi recomendações. Sugeriram-me My Heroes Have Always Been Junkies (MHHABJ) de Ed Brubaker e Sean Phillips. É um spin-off no universo da série CRIMINAL, também do Brubaker, que não li. Não lia Brubaker desde a run dele de Capitão América (também essa uma boa recomendação, não lia nada com o Steve Rogers desde os anos 90, porque o patriotismo americano me desinteressara, mas estes autores encontraram alma na personagem além da bandeira). Fiquei a sentir que estava a perder qualquer coisa. Entre FATALE, THE FADE OUT, CRIMINAL e KILL OR BE KILLED, todas estas excursões ao mundo decadente de anti-heróis e criminosos modernos têm tido boas críticas.
MHHABJ segue a história da problemática Ellie, uma hóspede relutante num centro de reabilitação para toxicodependentes. O seu…

Grilo Falante - Rubrica Quinzenal

Como forma de começar 2019 de uma maneira positiva, o blog da Mosi vai ter uma novidade: uma rubrica quinzenal - Grilo Falante - a começar já dia 16 de Janeiro.

Todas as quartas feiras alternadas, semana sim, semana não, vou convidar alguém para escolher um livro de Banda Desenhada, ilustração, ou qualquer outro do género, e falar um pouco sobre ele, nas suas próprias palavras.
Todas as entradas nesta rubrica estarão armazenadas aqui no vosso blog, no seu próprio separador.
Estejam atentos!
E boas entradas.

O Deus da Claustrofobia

Carnage (2011), o Deus da Carnificina de Yasmina Reza, adaptado por Roman Polanski
Naquela semana que decorre entre o Natal e a passagem para o Ano Novo, fui ver a peça O Deus da Carnificina, de Yasmina Reza, traduzida e adaptada para português e encenada por Diogo Infante. Poucos dias depois, vi também o filme homónimo, realizado por Roman Polanski. Note-se que não tenho praticamente conhecimento nenhum sobre teatro e/ou encenação, por isso tudo aquilo que for escrever abaixo é, como sempre foi neste blog, a minha mera opinião. Não vou falar do desempenho dos actores ou da qualidade do filme. O que me leva a escrever este post é uma reflexão sobre o espaço que, para mim, acaba por ser tão importante quanto o papel dos personagens.
Não conhecia obra nenhuma de Y. Reza mas, se há coisa para que este exercício de escrita me serve é para ilustrar, muito directamente, que teatro e cinema não conseguem reproduzir a mesma coisa. Embora usem muitos dos mesmos ingredientes - personagens/actor…