Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2018

Wet Moon 7 — A conclusão que não queríamos, mas de que precisávamos.

Já foi mencionada algumas vezes neste blog a série Wet Moon (a última vez no post sobre Spaniel Rage), criada, escrita e desenhada por Sophie Campbell, a ilustradora que também assina Shadoweyese a recente adaptação a BD de Jem and the Holograms.
O primeiro volume de Wet Moon foi publicado em 2004, ainda sob a autoria de Ross Campbell, e assim foi até ao volume 6, publicado em 2012. Em 2016, todos os volumes foram reeditados, agora com a assinatura de Sophie Campbell. O sétimo e conclusivo capítulo foi finalmente lançado em Novembro deste ano de 2018, o que terminou com a espera dos fãs desde 2012.
Por mais arbitrárias e impulsivas que as coisas possam ser, tudo precisa de ter, eventualmente, um fim. Wet Moon é o exemplo disso, e na carta da autora no final do volume 7, explica tudo isso:  (...) After I uploaded the final page of the book, I had a brief surge of emotion, it was finally done after so long, but besides that it still doesn't really seem real that it's done. (...…

Spaniel Rage

Uma das coisas que fizemos quando fomos a Nova Iorque foi visitar Brooklyn. Uma das coisas que quisemos fazer em Brooklyn foi visitar a Desert Island. A Desert Island é uma loja de banda desenhada onde deixei alguns livros e trouxe outros. Um dos que trouxe foi o Spaniel Rage da Vanessa Davis.

Spaniel Rage é uma antologia de desenhos e rabiscos diários, em formato de banda desenhada, feitos entre 2003 e 2004.
Segundo a introdução nas duas primeiras páginas, as únicas a cores, esta compilação resulta de um exercício descontraído que ilustrou o quotidiano da autora, nos seus vinte-e-poucos, a viver e trabalhar em Nova Iorque.

Na verdade, não há muito mais a dizer sobre o livro porque se resume muito basicamente a isto: rabiscos compilados. "Não percebo onde é que isto quer chegar": foi a frase que mais me vinha à cabeça e que, mais tarde, o André também veio a partilhar comigo.
Por outro lado, se virarmos o livro e lermos o praise da contracapa, damos de caras com uma série de…

My Lesbian Experience With Loneliness

Há umas semanas atrás, visitei Coimbra e fui conhecer a Dr. Kartoon, uma livraria especializada em Banda Desenhada. Trouxe de lá dois livros, o Amitié Etroite do Vivés e o My Lesbian Experience With Loneliness, a nova manga autobiográfica de Kabi Nagata. Relativamente à autora, não conhecia nada dela. A razão pela qual decidi comprar o livro, sem quase hesitação, foi porque já tinha ouvido falar dele pelas redes sociais, por ser um tópico sensível e facilmente polémico e que, segundo várias fontes e de acordo com o que lia, era um livro que oferecia uma abordagem muito verdadeira e necessária ao que era falado.
Dessa forma, há duas coisas a separar logo à partida quando for falar deste livro - como há quase sempre, em qualquer livro que falei até agora. E quem diz duas coisas, podem ser mais... MAS, neste caso específico, há o tema, a história e a narrativa e há a sua adaptação a banda desenhada, tendo em conta esse medium em si.
My Lesbian Experience With Loneliness é uma narrativa a…

Underrated: Avril Lavigne - Make 5 Wishes

Há uns dias, surgiu-me no mural do Facebook um vídeo da Erykah Badu em que lhe pediam para dar opinião acerca de várias coisas, mais propriamente, se ela achava que eram sub ou sobrevalorizadas. Sei que ainda vamos a 16 de Janeiro, mas tenho a certeza que é o melhor vídeo de 2018. De tal forma, motivou-me a por a mão na consciência e repensar todas aquelas coisas que são subvalorizadas e que parecem mesmo más, só que, na verdade, não são.
Não vou falar de coisas sobrevalorizadas: dos filmes dos super heróis, nem dos Harry Potter muito menos de Star Wars - nem sequer estou informada para isso e neste momento sou uma ignorante.  Não lhe perguntaram sobre BD, porque não? Por isso, achei muito giro embarcar na viagem nostálgica em que a nossa cultura pop actual tem vindo a navegar e reviver algumas das coisas que me marcaram bastante a infância (e de muitas outras pessoas da minha idade) e que mais tarde me deram vergonha ao ponto de as oferecer como prenda de Amigo Secreto a colegas por…