Monday, October 10, 2016

Geis - Alexis Deacon


Já faz algum tempo que não escrevo aqui no blog (como tradicionalmente costumo de começar os posts) portanto, visto que hoje pus um ponto final no último volume do Altemente, vim quebrar o silêncio com uma pequena review opinosa sobre a última graphic novel que comprei.

Encontrei este tesouro na Bertrand da Rua Garret que, como quase todas Bertrands, apesar de não ter muita BD, tem quase sempre BD boa. A loja da Rua Garret, que está em obras, tem ainda menos BD que o habitual, portanto este livro não foi propriamente o achado mais surpreendente de sempre, visto que nem estava escondido no meio de livros de arquitectura manhosa, estava literalmente especado na estante das novidades e destaques da entrada.
E digo-vos, foi amor à primeira vista. São poucas as vezes que isso acontece, mas quando acontece é intenso - acho que vocês sabem o que é, certo? A capa em si já me captou alguma atenção, mas mal folheei a primeira página apaixonei-me. Não demorou uma semana para voltar e comprar um exemplar.

Adiante, àquilo que interessa. Geis - A Matter of Life and Death, é o primeiro volume duma série desenhada e escrita por Alexis Deacon e publicada pela Nobrow, uma editora britânica que tem lançado muitas obras interessantes nestes últimos tempos. Tal como a editora, Alexis Deacon é mais conhecido pelo seu trabalho na área da ilustração infantil mas, desta vez, decidiu apostar numa graphic novel mais matura e sombria.
Não deixa, no entanto, de ser uma obra de fantasia em que o protragonista é uma criança e, apesar de poder ser lida por crianças e por qualquer idade (mesmo), de infantil não tem nada.

Como já devem ter reparado, se me conhecem e/ou se lêm regularmente este blog, o meu gosto em BD (e em qualquer outra coisa, como filmes, livros... etc) geralmente tende a inclinar mais para slice of life, drama, tramas da vida e coisas desse género. Há quem pense (e não os julgo, assumem isso dos meus desenhos e é compreensível que assim julguem) que eu não goste nada de fantasia ou aventura, mas isso é uma mentira total. Na verdade, são temas que me interessam bastante, especialmente quando são bem desenvolvidos (a minha infância foi passada à custa de LOTR, mmorpgs e ficção científica). Portanto, apesar de eu agora promover coisas mais "realistas" e "humanas", não deixo de ter um fraquinho por coisas deste género.
No caso de Geis, a história começa quando a matriarca de um determinado realm morre e uma feiticeira sombria, a cargo da falecida, inicia um torneio para determinar o sucessor. Nesta primeira parte, ficamos a saber um pouco sobre alguns dos convocados, da protagonista que não sabe porque é que está ali e do mundo em que vivem. É um universo mágico muito similar aos dos contos de fadas da nossa infância, mas não é tanto como uma idade média com magia e dragões; é mais parecido com o ambiente e com a estética do Castelo Andante e do subaquático do Ponyo, ambos do Studio Ghibli (não sei bem descrever porquê), o que para mim é bem mais apelativo e criativo.
Mas, o melhor do livro (para mim) não é a história, apesar de ser bastante cativante. O cerne desta paixão intensa é a qualidade gráfica desta graphic novel: é tudo aquilo que procuro em desenho e BD. Traço solto, orgânico e natural, caracterização dos personagens simples mas altamente expressiva e a cor é quase apenas sugestiva, usada em função de criar ambiente e sensações - muito naturalista. O controlo da luz/sombra é fantástico e é isso que dá aquele ambiente de filme Disney dos anos 40/50 que tantos arrepios nos deu. É puramente místico!

Escusado será dizer que estou desejosa de saber do 2º volume. No entanto, enquanto não sai, recomendo a toda a gente que leia, ou pelo menos veja o trabalho do Alexis - vale a pena!
Não tenho muito mais que dizer, mas no entanto vou deixar aqui algumas páginas:


Inté! e boas leituras.

No comments: